Instagram
Disney e a arte de (re)contar histórias

Seja você um professor, um instrutor, um profissional de marketing ou um supervisor, um dos maiores desafios de sua rotina é criar uma identificação do público com a sua ideia. No contexto atual, estamos dividindo as atenções constantemente entre diversas informações que apelam aos nossos ouvidos e olhos. O que esquecemos, por vezes, é que uma das formas mais clássicas de imantar a concentração de qualquer pessoa é a arte de contar boas histórias.

Propagar uma narrativa inspiradora é uma atitude que apela tanto à forma quanto ao conteúdo. Uma das maiores especialistas em equilibrar essas duas características é a Disney. Com seus contos mágicos e lendas fantásticas, a empresa marcou de forma positiva o imaginário de diversas gerações. Recentemente, a companhia deu outra guinada rumo ao sucesso quando incorporou franquias como os super-heróis da Marvel e os personagens de Star Wars, aumentando seu público e receitas.

Um dos últimos lançamentos da Disney foi a releitura do clássico A Bela e a Fera. Utilizando atores reais em vez de animação, a empresa criou um verdadeiro frenesi antes, durante e depois do lançamento da película, atraindo a atenção de todos e colocando seu nome nos principais assuntos, mídias, tópicos e redes sociais. O sucesso de críticas e público foi tão grande que a Disney já planeja dar a mesma trajetória para outros contos clássicos. Afinal, existe uma série de características no formato do novo A Bela e a Fera que são úteis para todos que estejam interessados em contar de forma eficaz uma história. Scott Davis, contribuinte da revista americana Forbes, indica alguns desses pontos:

 

Conheça seu público – Para os mais velhos, uma nova forma de contar uma história já conhecida, com novos elementos e profundidade. Para os mais novos, a sensação do novo vem de poder conhecer o universo mágico que A Bela e a Fera apresenta. Apelando ao mesmo tempo para diversas gerações, a Disney conseguiu unir componentes para satisfazer todas de igual maneira.

Seja um mestre do storytelling – Aprofundar o que já era conhecido e trazer novos ingredientes para intensificar as tensões da trama é o grande segredo do novo filme. Apesar das alterações estéticas provenientes da mudança de uma animação para uma película com atores reais, enriquecer o universo é o ponto-chave do recente formato.

Crie novos destaques – Contar e recontar uma história pode ser enjoativo para quem a escuta repetidas vezes. Trazer relevância para pontos diferentes e renovar os antigos é crucial. A Disney trouxe novos atores, cenas e músicas para a trama, criando momentos mágicos e memoráveis.

Gere movimento – A eficácia de uma história pode ser medida pela sua capacidade de guiar assuntos e gerar discussões acerca de si. Desde antes do lançamento, a Disney viu as interações com os fãs aumentarem exponencialmente por conta das expectativas criadas. A força do filme levou a mais de 30 milhões de visualizações do trailer no YouTube ainda em janeiro, e continua rendendo movimentação de usuários nos sites e redes sociais da Disney.

Seja inspirador – A figura de Emma Watson, que é uma embaixadora da ONU, traz uma forte mistura para o imaginário entre as personagens já representadas, Bela e a própria figura pessoal da atriz. A britânica é famosa pelo seu ativismo e discursos públicos em defesa de minorias, imprimindo em Bela uma imagem forte e que inspira os fãs além das telas.

 

Para ler o artigo original publicado na Forbes, clique aqui.

Instagram