Instagram
3 Lições de inovação da pixar para o seu negócio

Hoje eu quero te ajudar a dar mais um passo na sua trajetória empreendedora. Quero começar sugerindo a você o que pouca gente fala: desconfie dos MBAs tradicionais, dos excessos de planejamentos, da aversão ao risco. E digo mais, duvide daquilo que podem estar sugerindo para você como o “modelo ideal” para chegar à inovação.

E por que estou falando tudo isso? Simples, vamos conhecer a fórmula de sucesso de uma das empresas mais criativas do mundo, dona de uma coleção de 12 estatuetas do Oscar e que tem tudo a ver com você. Vamos lá.

Ed Catmull, CEO da Pixar, inicia o livro Criatividade S.A. lembrando do estouro da bolha da nova economia. Pois é, há alguns anos, no Vale do Silício, jovens com ideias criativas e brilhantes buscavam um  financiamento, abriam uma empresa e, reunindo um monte de gente esperta, desenvolviam um produto que alcançava um sucesso repentino.

Seus CEOs inevitavelmente acabavam ganhando a capa da Fortune. Eram os titãs do novo mundo. Mas, de repente, algumas dessas empresas acabavam saindo dos trilhos, e era o fim. Você deve estar se perguntando: por quê? É exatamente essa a pergunta que não saía da cabeça de Ed. Será que não seria a Pixar a próxima a fracassar?

A pergunta que mais se fazia era: Por que pessoas inteligentes, que haviam construído grandes impérios no vale, tomavam decisões tão incertas que levavam suas empresas a fracassarem de repente? Com certeza eles acreditavam que estavam fazendo a coisa certa. Por que algo os cegava?

Veja a sacada genial de Catmull: “As coisas boas estavam ocultando as más. Quando fatores positivos convivem com os negativos, como costuma ocorrer nas empresas, as pessoas relutam em explorar aquilo que as está incomodando por medo de serem taxadas como negativas. Compreendi que esse tipo de coisa, quando não corrigida, poderia infectar e destruir a Pixar. Para mim, essa foi a descoberta providencial”.

Bem, com essa preocupação, Catmull desenvolveu um modelo, uma forma de ser, que vou resumir  em 3 conceitos  para você:

1. Foco nas pessoas
Bem, isso pode parecer para você um clichê,  mas não na Pixar. Catmull diz que, outro dia, um amigo seu estava preocupado com a total falta de ideias em sua empresa. Ele parou, pensou e respondeu:

A sua empresa está precisando é de pessoas. Pessoas são mais importantes que ideias, ideias vem depois.

E isso tem muito a ver com você, porque sua empresa precisará selecionar muito bem as pessoas que farão parte de seu time. Agora, veja como as pessoas certas podem fazer ou não sua a empresa brilhar. Na Pixar, tudo começa pelo diretor artista, o qual não tem obrigatoriamente um MBA.

Ele apresenta uma visão de uma possível ótima história que pode se  transformar em um filme. Se a ideia de produto, no caso o  filme, é aprovada, logo as pessoas têm um desafio: pesquisar e iterar. E eles fazem isso entrando na pele do cliente. Veja você, mais uma vez fica confirmada a necessidade de ter as pessoas certas.

Antes de fazer o filme “Procurando Nemo”, os animadores voaram para o Havaí e foram ter uma experiência com mergulho. Viajaram também para a Escócia enquanto produziam o filme “Valente”, o qual é riquíssimo em significados. Agora pare para pensar: isso tudo é muito parecido com o que você fez quando desejou lançar a sua startup, não é?

No início, era apenas uma ideia em sua mente. Você precisou testar todas as hipóteses do seu MVP (produto mínimo viável) junto ao seu próprio cliente. Não é diferente na Pixar. Mas agora você me perguntará: como posso ser mais assertivo para ter o profissional adequado?

Bem, vamos lá: O primeiro passo é procurar por um profissional que seja criativo e também tenha muita iniciativa para resolver as infinidades de problemas que surgem em todas as organizações. Mas, mais que isso, procure por alguém que goste de trabalhar com outras pessoas. Se você já encontrou essa pessoa, agora é hora de se certificar que ele saiba interagir intensamente numa comunidade empresarial, porque a genialidade está no conjunto do time.

Leia a matéria completa em:  Revista PEGN

Instagram